Oliver Sacks

 

O neurologista Oliver Sacks revelou, recentemente, estar com câncer terminal. Essa notícia levou a Consultora de Empresas Beia Carvalho a lembrar-nos do excelente documentário “Janela da Alma“, onde há vários depoimentos lindos sobre o tema, inclusive do próprio Oliver. É o tipo do vídeo que você não poderá ver uma única vez. Há muito ouro ali.

As diferentes capacidades de visão, começando com a dos seres humanos que é limitada, se compararmos à visão das aves de rapina, como o falcão, a águia e até o nosso velho e bom urubu, nós passaríamos como seres próximos à cegueira. Mas o documentário foi a campo e trouxe o depoimento de alguns cegos, entre outros depoentes com algo diferente em suas visões, que conseguem enxergar mais do que a maioria dos humanos, usando outros sensores, como a audição, o tato, paladar e o melhor, a alma.

Quem lê as bobagens que escrevo nesse blog, será sempre testemunha de quanto venho insistindo nessa questão das nossas imagens sombrias, em especial, nos temas mais teológicos e/ou relacionadas a Deus e às coisas espirituais. Nós acreditamos naquilo que somos capazes de ver, entretanto, não nos damos conta de que nossa visão é parcial. Há várias razões para isso, desde do tipo de visão que a espécie humana possui, passando pelos problemas físicos e emocionais que podem interferir, até as diferenças existentes dentro da própria espécie. É sabido que os orientais e os esquimós possuem visão mais ampla em relação aos ocidentais, em termos físicos.

Entretanto, a raça humana tem se destacado em completar sua capacidade de ver através de outros meios, internos e externos, por um lado, e por outro tem se fechado em “cavernas e grutas” permanecendo e se contentando em ver as sombras nas paredes desses lugares fechados como se fossem as imagens plenas e reais.

Hoje é sábado e estou escrevendo por volta do meio dia. Nessa altura deveria estar terminando a primeira parte de um WorkShop cujo tema era as “Finanças Pessoais”. Mas o grupo de pessoas que havia confirmado presença não efetivou suas inscrições e a empresa organizadora não teve outra alternativa, a não ser cancelar o evento. Me preparei muito (cerca de seis semanas) para poder proporcionar uma oficina bem legal para quem participasse. Como não sou economista e muito menos contador, meu enfoque seria um pouco diferente. Evidentemente, não havia como escapar de algumas definições essenciais como as questões relacionadas aos ativos e passivos, bem como do orçamento e seus componentes receitas e despesas. Mas era justamente sobre as imagens e os enfoques que residiriam minhas ênfases, ao examinarmos mitos e lendas, a maioria deles determinados por visões equivocadas e agravados com falsas crenças, a partir daí.

Dito isso, resta-me acrescentar que o dinheirinho (havia feito um precinho bem camarada para ajudar o pessoal) que adviria daí, provavelmente, me fará uma falta incomensurável. Bom, isso se pensar só no que estou vendo, visão possivelmente bem parcial, pois naquilo que não sou capaz de ver, pode residir muitas possibilidades capazes de me salvar de mais essa.

Capricornio PB

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

{ 0 comments }

021415_1933_ltimamensag1.jpg

 

Essa foi a última mensagem do Dr. Dale W. Kietzman enviada a mim. Ele foi meu mentor e amigo em algumas missões que trabalhamos juntos, sobretudo na Open Doors Mission. Além disso, acompanhei o trabalho dele em muitas missões e organizações cristãs. Só na Wicliffe aqui no Brasil, ele trabalhou dezenove anos. Mas estivemos sempre em contato. Ultimamente vínhamos conversando sobre a possibilidade de implantar a DKU (Dale Kietzman University) no Brasil. Ontem, pela manhã, ele nos deixou, certamente, foi chamado para alguma missão impossível celestial. Os caras lá deviam estar precisando do melhor expert em desenvolvimento. RIP Dr. Dale. O senhor me ajudou muito além do esperado, sempre.

Mensagem resposta do Dale Kietzman

Thanks, Lou, for your note of greeting and news. I had followed on Facebook your journey with the loss of your son. I am so sorry for your loss, and am amazed at some of your musings since then. They have often stimulated my thoughts about grief and loss. I am praying that you will be able to gain momentum again in your many areas of interest.

While the university in Africa is doing quite well, I am increasingly aware that, while it bears my name, I can do little to suggest its course of action. Right now I would say that there is little hope of an expansion into Brazil in the near future.  You have good ideas about specialized areas of instruction, and I would encourage you to move ahead on your own.

I think about the difference between education and consultation, both of which I have been successful in (I think). Educational methods reach a lot more people than you could ever reach by consultation, but with education you have to generalize, while you can be very specific when consulting with a company about a specific problem. Consulting is easier to execute, while building an educational institution takes a lot of energy and is somewhat risky. In the end, I guess you do that which God puts into your hands.

Sincerely, in Christ’s love,

Dale

(tradução)

Obrigado, Lou, por sua nota de saudação e notícias. Eu segui no Facebook a sua jornada com a perda de seu filho. Sinto muito por sua perda, e estou atônito com algumas de suas reflexões desde então. Elas muitas vezes estimularam meus pensamentos sobre a dor e a perda. Estou orando para que você seja capaz de ganhar um novo ímpeto em suas muitas áreas de interesse.
Enquanto a universidade em África está indo muito bem, estou cada vez mais ciente de que, ao mesmo tempo que ela tem o meu nome, eu posso fazer pouco para sugerir o seu curso de ação. Agora eu diria que há pouca esperança de uma expansão para o Brasil em um futuro próximo. Você tem boas ideias sobre áreas especializadas de instrução, e eu gostaria de encorajá-lo a avançar em seu próprio país.
Eu tenho pensado sobre a diferença entre a educação e a consultoria, nas quais eu tenho sido bem sucedido (acho). Métodos educacionais podem atingir muito mais pessoas do que você jamais poderia alcançar via consultoria, mas com a educação você tem que generalizar, enquanto você pode ser muito específico ao dar consultoria para uma empresa sobre um problema específico. Consultoria é mais fácil de executar, enquanto a construção de uma instituição de ensino necessita um monte de energia e é um pouco arriscado.

No final, acho que você deve fazer o que Deus colocar em suas mãos.

Sinceramente, no amor de Cristo,

RIP Dr. Dale. O senhor me ajudou muito além do esperado, sempre.

Lou Mello

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

{ 0 comments }

Faltando água?

by Lou Mello 10 February 2015

Faltando água? Nesses tempos, ambientalistas e climatologistas tratam de não perder a oportunidade para vender seus peixes, geralmente pouco procurados no mercado, a não ser pelas elites, é claro. Concordo que a maioria das reivindicações desse pessoal é válida e algumas, extremamente pertinentes. Outras nem tanto e até há aquelas menos relevantes. Entendo que seja […]

Comments Read the full article →

Armagedon da paz

by Lou Mello 2 February 2015

  Pacificadores Dizem que esse mundo acabará em fogo. Recentemente e cada vez mais a crença em uma guerra, cujo nome será Armagedon, a batalha final, dado há milênios, devastará a Terra e tudo que nela há, pois será uma catástrofe nuclear global. A Bíblia fala do Armagedon como local duma guerra que preparará o […]

Comments Read the full article →

Zelite Branca

by Lou Mello 26 January 2015

Por Beia Carvalho Viver num mundo que cresce de forma exponencial é enervante, fatigante, debilitante, extenuante, árduo, exaustivo. Exige de nós, cidadãos desta nova era, muito de tudo: muito mais trabalho, muito mais dedicação, mais conhecimento e muito, muito mais estudo. Por isso, EDUCAÇÃO é um dos 15 Desafios Globais classificados pelo mais respeitado e […]

Comments Read the full article →

É proibido dançar II

by Lou Mello 17 January 2015

 Postado originalmente em 16 janeiro de 2006 É proibido dançar nas igrejas protestantes brasileiras. Quem disse que ela não tem nada em comum? Passei uma grande parte de minha vida dançando. Nos anos 60 dancei muito nos famosos bailes de formatura sob a música competente de Waldomiro Lenke, Edgar e os tais e Cia. No […]

Comments Read the full article →

Não Matarás, se não pretende morrer

by Lou Mello 12 January 2015

Terrorista deixa cair tênis ao sair do carro para matar Oia, “Não Matarás, se não pretende morrer” é mandamento da Lei de Deus, portanto, e antes de mais nada, meu negócio é a favor da vida. Quando Jesus foi crucificado ao lado de dois ladrões, o pecado cometido pelos romanos contra os três, devidamente apoiados […]

Comments Read the full article →

A inevitável arte de aniversariar

by Lou Mello 8 January 2015

A inevitável arte de aniversariar contém em sua definição a inescapável e compulsória certeza de vive-la ano após ano, quase sempre como um dia para esquecer. A não ser que você tenha parentes minimamente legais e um ou outro amigo, ao menos, fora a sua família nuclear, obviamente. Neste mesmo dia, em 2009 escrevi: “Enfim, […]

Comments Read the full article →

A Pobreza da Prosperidade

by Lou 7 January 2015

A pobreza da prosperidade, nos moldes cantados e pregados pelos “teólogos” da prosperidade é patente. Eu tinha um amigo, lá pelos idos da década de 70, considerado o maior vendedor de carros de Santo Amaro. Ele não era uma pessoa comunicativa. Sua característica mais visível era o alcoolismo. Todos os dias, lá pelas 14 ou […]

Comments Read the full article →

Expectativas para o Novo Ano

by Lou Mello 31 December 2014

  Entra ano, termina ano e fica aquela sensação de tempo perdido. Talvez essa seja uma das razões responsáveis por levar os especialistas em planejamento aconselharem a elaboração de um plano contendo as expectativas para o Novo Ano, ande dele começar. Uma das expectativas cujo teor posso compartilhar com os grutenses, afinal não temos o […]

Comments Read the full article →